COMISSÃO DA MULHER ADVOGADA E DE DIREITO DE FAMÍLIA VISITA O CENTRO PRISIONAL FEMININO DE COLATINA- CPFCOL

 

No dia 25 de junho de 2018, a Comissão da Mulher Advogada e de Direito de Família da Subseção de Colatina-ES representada por seus membros Carla Rodrigues da Silva, Dalnecir Morello, Daniela Aparecida Salvador, Daniele de Azevedo Piumbini, Gleide Maria de Melo Cristo, Lara Machado Luppi, Lídia  Manfioletti e Mayza Carla Krause, realizou visita ao Centro Prisional Feminino de Colatina (CPFCOL), ocasião em que foram recebidas pela diretora da unidade, Sra. Maria Aparecida de Freitas.

A visita teve como objetivo conhecer a realidade carcerária feminina em Colatina, bem como verificar de que forma a Comissão pode atuar e contribuir com melhorias nesta unidade prisional.

No que tange a estrutura física, o presídio possui capacidade para 366 detentas, sendo que no momento encontram-se encarceradas 295 mulheres. A Comissão percebeu que as instalações encontram-se em boas condições, não havendo necessidade de intervenções neste aspecto.

A Diretora do Presídio relatou que as detentas possuem auxílio médico e psicológico, serviços estes prestados por empresa terceirizada. Também contam com atendimento de uma assessora jurídica do presídio.

Entretanto, pontuou-se a inexistência de auxílio psicológico às inspetoras penitenciárias, bem como a necessidade e importância de que seja disponibilizado acompanhamento com Psicólogos e terapeutas para profissionais que trabalham no âmbito penitenciário.

A unidade prisional conta com um “berçário”, uma cela especial onde estão as internas gestantes e as mães com seus bebês, de modo que o limite de permanência das crianças com suas genitoras é até completarem 6 meses de idade.

Em relação às atividades e oficinas destinadas às presas, o CPFCOL possui em suas dependências: uma pequena fábrica de confecção de roupas íntimas que são encaminhadas para outros presídio; uma oficina de confecção de perucas, sendo apresentado à Comissão todo o processo de produção, e informado que as perucas destinam-se a mulheres em tratamento de câncer; e o “Projeto Doando Sorrisos” em que as detentas produzem bonecas de pano e outros artesanatos, sendo que a produção é destinada para doações a orfanatos, asilos e hospitais.

Ademais, nos foi informado pela Diretora Maria Aparecida que o CPFCOL possuía um projeto com alunos do curso de Educação Física, em que as encarceradas praticavam atividades físicas, o que reduziu em 50% a quantidade de hipertensas que necessitavam de medicamentos. Infelizmente o projeto encerrou-se, tendo em vista a falta de professores para orientar os alunos.

Assim, pretende a Comissão atuar junto à Direção do Presídio, apoiando os projetos lá desenvolvidos, bem como desenvolvendo outros que possam auxiliar na ressocialização das detentas.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Comentários